Vandalismo e roubos em Jacarezinho superou o limite do suportável

0

Jacarezinho nem é uma cidade tão grande para a quantia de furtos, roubos, assaltos a mão armada, depredação de patrimônio e por aí vai.

A sociedade não suporta mais ter seus lares e estabelecimentos comerciais invadidos por vândalos, vagabundos que não trabalham e ficam o dia todo perambulando pela cidade sem nenhum questionamento do que fazem, tomando bebidas em praças públicas, onde viram pedintes e arrecadam dinheiro para o uso inclusive de drogas, alguns deles de forma covarde e ameaçadora confrontam mulheres e pessoas de mais idade a fim de angariar recursos para manter seu vício, a eles são mantidos o direito de ir e vir, a nós está sobrando a clausura em nossas residências.

Todo dia se tem notícias de residências e comércios arrombados e saqueados, esses bárbaros selvagens, que não deveriam estar vivendo no seio da sociedade roubam tudo que podem, assaltam à mão armada pessoas nas ruas e roubam bicicletas, celulares, dinheiro, isso quando não agridem física e psicologicamente . Jacarezinho está virando terra de ninguém, e isso porque sabemos apenas a ponta do iceberg; se soubéssemos de tudo que acontecem nem sairíamos mais as ruas.

Desta vez o furto foi novamente, pela enésima vez, na Marcenaria Batista e Alves, na saída para Cambará, onde os meliantes, que além de não valerem nada como seres humanos, ainda são burros, desprovidos de inteligência. Um veículo Fiat Strada, que estava na garagem, teve seu capô arrebentado, pois entortaram para roubar a bateria do carro, que estava com as portas abertas, bastava que os vagabundos abrissem a porta e destravassem o capô. Para um roubo de uma bateria usada que venderão no máximo por 50 reais, deram um prejuízo de mais de 2 mil ao proprietário.

Mas infelizmente o muito pouco de inteligência que esses bandidos têm é para armarem planos para roubar, porque tempo ocioso não os faltam, e também para saberem que se forem presos muito em breve estarão nas ruas roubando e tocando terror novamente.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.