‘Pode me chamar de gay ou bi’, diz Anderson ao relatar sexo com MC Maylon

0

Na última semana, o cantor Anderson Leonardo, vocalista do grupo de pagode Molejo, foi acusado de estupro por MC Maylon.
O jovem, de 21 anos, afirma que em 11 de dezembro teria sido persuadido a encontrar com o cantor em um motel para discutir uma possibilidade profissional, mas que na ocasião teria sido penetrado sem preservativo ou lubrificante, acabando, assim com o seu sonho de se casar virgem.

Em depoimento dado nesta sexta-feira, 05, na 33ª Delegacia de Polícia de Realengo, no Rio de Janeiro, Anderson afirmou que, de fato, havia transado com o rapaz, mas de maneira consensual.
Posteriormente, em live com o jornalista Betoh Cascardo, o vocalista do Molejo contou que chegou a tentar realizar o sonho do jovem Maycon Douglas Pinto de Nascimento Adão em ser cantor. “Marquei com ele uma reunião no estúdio. Com ele, a mãe dele e o padrasto. Nós falamos sobre música. Eu falei: ‘Irmão, independente de qualquer coisa. Você tem alguma música para eu ouvir?’. Ele mostrou uma música até bem produzida. Falei: ‘Você canta bem. Mas eu queria ver você cantar ao vivo’”, relatou.

Segundo o vocalista, a partir daí o jovem passou a frequentar os shows do Molejo. “Depois de ele ter ido ao quarto show, eu coloquei o cara para cantar num pagode. Minha cara ficou de todas as cores de vergonha quando ele começou a cantar. Ele cantava pessimamente mal”. Ainda sim, Anderson disse que manteve contato com MC Maylon e que estava em um momento sensível, pois havia acabado de terminar um relacionamento com uma mulher.

“Eu tinha terminado um relacionamento e o menino faz uma tatuagem para você? O cara está ali te encantando. Quando começa a te encantar, você não vê cara, bolso, nada. Você só vê uma pessoa. O que acontece? Aconteceu. Entendeu?”, explicou. “Foi uma vez. Mas nessa vez que aconteceu, eu falei: ‘Vou tirar essa dúvida logo. Se for bom…’. Vou casar com ele, faz de mim o que quiser. Quer falar que sou gay? [Pode falar] Sou bay, bi, tri, hepta… Não estou nem aí. Como diz a música: ‘eu quero amor, não quero cilada’”, disse.

Anderson também rebateu a versão do boletim de ocorrência de Maylon, que narrou ter desmaiado e ter saído do motel com a cueca cheia de sangue e espermatozoide: “Sexo anal não é para qualquer um. O que eu fiz? [Usei] Gelzinho. Fui com jeitinho, preparando e vendo se está tudo certo para depois chegar na penetração. Sou um cara de 48 anos. Não vou saber fazer sexo anal? Desculpa a expressão, sei chegar no botequim e botar uma cerveja”, declarou. “Estupro é uma coisa muito séria. E ele não desmaiou. Primeiro, ele ejaculou. Falei: ‘posso ir?’. Quando fui, ficamos um do lado do outro e conversamos. Não teve sangramento, não teve nada. Que gota de sangue?”, continuou. “Comi? Comi. Mas comi consensualmente. Não estuprei”, finalizou.
(Fonte gay.blog)
Parar assistir à live na íntegra:

https://www.instagram.com/tv/CK71Grsh2RJ/?utm_source=ig_embed

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.